Fraudes atingem Instagram e spam diminui, aponta relatório da Symantec

Os usuários da rede social de fotos Instagram estão na mira de um novo golpe on-line, conforme alerta a empresa Symantec no relatório mensal "Intelligence Report" ("Relatório de Inteligência", em tradução livre) referente a outubro deste ano. Outro destaque do estudo a redução no número de mensagens de e-mail identificadas como indesejadas (spam).
 Legenda: Golpe no Instagram é indireto: links estão apenas nos perfis. (Foto: Reprodução)
Fraude no Instagram
O golpe direcionado aos usuários do Instagram, serviço que pertence ao Facebook, tem o objetivo de fazer com que o internauta acesse uma página e forneça seu número de celular para ser cadastrado em um serviço de mensagens de texto (SMS) e receber "vídeos fofos de animais", conforme informa Ben Nahorney, especialista da Symantec.
Por meio de uma mensagem, a vítima é convidada a visualizar um perfil na rede social de fotos para ganhar um "jogo grátis". É nesses perfis fraudulentos – que usam fotos de mulheres atraentes – que se encontra o link para o golpe.
Em outro caso, além de mensagens, o especialista da Symantec também percebeu que muitos perfis passaram a serem seguidores dele no Instagram, também com o mesmo objetivo de divulgar um link presente no perfil. Em ainda outra situação, perfis aparentemente legítimos começaram a "curtir" as fotos, e os perfis traziam imagens e mensagens que divulgavam esquemas duvidosos para se ganhar dinheiro na internet.
Redução de spam
O relatório também destaca que a quantidade de mensagens de e-mail classificadas como spam caiu de 75% em setembro para 64,8% em outubro. A Symantec atribui parte da redução à inatividade de uma rede zumbi chamada de "Festi", que aparentemente "desapareceu". A companhia acredita, porém, na possibilidade de que outra rede zumbi tome o lugar dela, retornando os volumes de spam para o nível anterior.
O Brasil foi identificado como a segunda maior fonte de spam, enviando 7,9% de todas as mensagens assim classificadas pela empresa. O país que mais enviou spams foi a Índia, que foi origem de 11,9% dos e-mails indesejados.
A Symantec ainda identificou que um em cada 286,9 e-mails levava a uma página falsa de alguma entidade para fins de roubo de dados e que um em cada 229,4 e-mails levava a algum vírus de computador. Os dois números representam quedas em relação ao mês de setembro, de 0,059% e 0,04%, respectivamente.
Em compensação, o número de sites bloqueados por tentarem atacar os computadores dos visitantes subiu: foram 933 sites por dia – um aumento de 19,7%.
Malware ameaça internauta com áudio e kit de ataque tem nova versão
Outro alerta envolve uma família de softwares maliciosos chamada de "Ransomlock". A novidade da praga é o uso de um arquivo de áudio, em inglês, que diz: "Alerta do FBI: seu computador foi bloqueado por violar leis federais". Na tela, uma mensagem diz ao internauta que ele cometeu diversos crimes, inclusive a violação de direitos autorais.
O vírus exige um pagamento de US$ 200 (cerca de R$ 400) como uma "multa" falsa para liberar o computador da vítima.
A Symantec também identificou uma nova versão do kit de ataque "Black Hole". O "Black Hole" é um sistema que gerencia páginas que exploram falhas pelo navegador do internauta para instalar pragas digitais no sistema. A novidade é que os criminosos dificultaram a ação de softwares de segurança para bloquear os ataques.
 Fonte(G1)

Postagens Relacionadas
Anterior
« Anterior
Proxima
Proxima »